Loading

Fernanda R-Mesquita

fmaria1961@gmail.com

Blogue

Dos teus dedos nasciam poemas- poesia

Tu não sabias escrever, nem lermas dos teus dedos nasciam poemasquando trazias o vento ao moinho de canaque fazias para mim,quando do balouço que penduravas debaixo de um pinheirome empurr...

Ler mais
CARTA DESPRETENSIOSA

Faz a tua criança feliz!Carta despretensiosa? Como pode qualquer assunto de uma mãe para um filho, ser considerado despretensioso? Hoje completaste vinte e oito anos. É uma experiência c...

Ler mais
O TEU ESFORÇO

Num tempo em que eu ainda não percebia que todo o Homem tinha nascido escravo de tudo ou de alguém, crescia segura do teu apoio, sem saber que eu inconscientemente também te estava a escr...

Ler mais
Vestígios- poesia

Sinto na tua camisa lavada,neste tecido que abraçoa tua pele marcada,do teu corpo que adormeceuvencido pelo cansaço,descansando sobre o meu.Lanço o olhar àquela horaem que o teu respirar...

Ler mais
Lágrimas- poesia

Gotinhas húmidas e transparentesqueimam o meu rosto cansado!Mas não são lume!São lágrimas fortes e quentes,são um grito silenciadonum silencioso queixume.São um livro fechadotão quas...

Ler mais
O JOÃOZINHO- poesia

Joãozinho estava a ficar grandinho,já comia sozinhoe passara a idade de usar babete...Mas um dia, no dia em que fazia sete aninhos,a mãe estranhamente amorosa disse:- Comprei-te um babete...

Ler mais
Papillon- I- conto

Nariz longo e afilado entre os olhos tristes e derrotados. Ossudas maçãs do rosto reprimindo questões esgotadas. O medo serpenteando-lhe o cérebro. Entre a chávena do café e os cotovel...

Ler mais
Lutas invisíveis- conto

A casa parecia cheirar apenas a água a ferver. Tem cheiro, a água, quando ferve? Neste caso, sim. As bolhas libertavam o cheiro da pressa. Saltavam, ansiosas por transformar as batatas em ...

Ler mais